sábado, 8 de agosto de 2009

Inferno de Seixas


Por mais que eu tente, eu fracasso

por mais que eu lute, eu perco

Descubro que não possuo as habilidades que imaginava ter

O mundo gira contra mim

Me derrubando, me atrasando, me jogando em um abismo claro onde cada ponto do seu infinito é previsivel.

Morrendo cada segundo

Me apoiando no vacuo

Sentindo o não existir, descobrindo o não saber

E quando eu busco as possibilidades elas somem

Por mais que eu busque não há nada

E então me lanço no unico caminho restante

Me entrego ao inferno de Seixas

Para pode morrer, para poder sentir

Vou abdicar de todas as minhas verdades

Vou abdicar de mim mesmo

Vou me matar...

Na esperança de nascer diferente.

Um comentário:

  1. nossa esse vc escreveu pela simples possibilidade de servir ao exército?

    ResponderExcluir